Vigilância do RS orienta que água contaminada seja retirada do mercado


Foto: Marjuliê Martini/MP-RS
A Vigilância Sanitária da Secretaria Estadual da Saúde do Rio Grande do Sul informou, nesta sexta-feira (24) que já teve início o trabalho de retirada dos lotes de água mineral contaminados do mercado. Para isso, foi emitida uma circular para todas as coordenadorias estaduais de saúde.Depois do leite e do queijo, uma nova fraude foi descoberta no Rio Grande do Sul. Uma operação deflagrada na quinta-feira (23) pelo Ministério Público descobriu que água mineral foi contaminada. Três pessoas foram presas no Vale do Taquari.
De acordo com as investigações, a água mineral vendida pela empresa estava contaminada com a bactéria Pseudomonas  aeruginosa, além de mofo, limo, sujeira e coliformes fecais.
Foto: Marjuliê Martini/Ministério Público
Escutas telefônicas apontam  que a companhia sabia da contaminação, mas continuou com o envasamento e venda do produto.Conforme o Ministério Público, quatro marcas eram envasadas pela empresa mineração Campo Branco, que fica na cidade de Progresso, e que foi interditada. Entre eles estão a “Do Campo Branco”, que teve quatro lotes considerados impróprios, além das marcas  Carrefour, Biri Biri e Roda D'Água, que usavam a água da mesma fonte.
O produto chegou a ser distribuído pela companhia aérea Azul, que em abril deste ano suspendeu o contrato devido a insatisfação com o produto.
Procon Orienta
De acordo com as investigações, desde janeiro de 2016, mais de 930 milhões de litros de água contaminada podem ter sido comercializadas. De acordo com o Procon RS foram identificados problemas nos lotes 410 e 421, de 2015, e 028 e 272, de água com gás de 1,5 litro, com validade até setembro de 2016, da marca “Do Campo Branco”.
A entidade orienta que os consumidores que tenham adquirido os lotes mencionados exijam a troca do produto ou a devolução do dinheiro, mesmo sem a apresentação de nota fiscal. Em caso de ingestão, a pessoa deve procurar auxílio médico, informa o órgão de proteção ao consumidor.
O que alegam os envolvidos
O advogado Flavio Ferri, sócio da Mineração Campo Branco e irmão de um dos presos, preferiu não se manifestar sobre o assunto.

Distribuidor da marca Do Campo, Ênio Crestani afirmou que um lote da água foi retirado do mercado. O empresário acredita que há um "mal-entendido", e que desconfia de "sabotagem".

"É impossível ter água contaminada aqui. Ficamos em um lugar alto, no meio do mato, não tem risco de contaminação. A universidade aqui faz análises. Isso vai ser esclarecido", acrescentou.

Por meio de nota, a Carrefour diz ter suspendido a Mineração Campo Branco do seu quadro de fornecedores, e que está retirando o produto das gôndolas dos supermercados de sua rede. "Os fornecedores da sua marca própria são auditados periodicamente, a fim de cumprir uma série de requisitos rigorosos de qualidade. Qualquer desconformidade culmina com o desligamento da empresa do seu quadro de fornecedores, medida já adotada neste caso", acrescenta o texto.

A Azul destacou que desde o início de abril a empresa "não faz mais parte de sua lista de fornecedores". O responsável pela marca Biri Biri não foi localizado pela reportagem.
Na tarde desta sexta-feira (24), a empresa Água Mineral Viva Ltda, de Juatuba, Minas Gerais, enviou e-mail ao G1 esclarecendo que envasa a marca Roda D'Água na cidade, e que a Mineração Campo Branco, de acordo com seu entendimento, "utilizou indevidamente e sem autorização a marca para divulgar produtos por ela envasados".
A empresa afirma ter o registro da marca perante o Instituto Nacional da Propriedade Industrial (INPI), e acrescenta que já encaminhou notificação para a empresa Campo Branco.
Vigilância do RS orienta que água contaminada seja retirada do mercado Vigilância do RS orienta que água contaminada seja retirada do mercado Reviewed by Josias Marques on sábado, junho 25, 2016 Rating: 5