Últimas

Regional

Trânsito

Últimas Notícias

Apreensão de droga durante Feira do Peixe em Taquaruçu do Sul

Publicado quinta-feira, 17 de abril de 2014 | 14:23:00
Na noite de ontem 16 de Abril de 2014, durante policiamento na Feira do Peixe em Taquaruçu do Sul uma guarnição do POE do 37ºBPM abordou uma motocicleta onde o condutor resistiu à abordagem sendo necessário o uso da TASER para imobilizá-lo o qual apresentava visíveis sinais de embriaguez, foi realizado busca pessoal no indivíduo onde foi localizado em seu bolso 14,4 gramas de uma substancia com características semelhantes à cocaína, sendo o mesmo preso e conduzido até a delegacia de polícia de Taquaruçu do Sul onde foi lavrado o auto de prisão em flagrante e posterior ao Presidio de Frederico Westphalen

37ºBPM

Juiz Leal Vieira falará sobre ética em reunião da Acvermau

Publicado | 13:12:00
“A Ética do Legislativo Municipal” é o tema da palestra a ser ministrada pelo juiz de Direito da 2ª Vara Judicial da Comarca de Frederico Westphalen, José Luiz Leal Vieira, na reunião da Associação das Câmaras de Vereadores do Médio Alto Uruguai (Acvermau) do mês de maio. O convite foi entregue no Fórum nesta quarta-feira, 16, para a assessora do juiz, Paula Brondani.
Conduzida pelo presidente da Acvermau, Lari Piaia; e o vice-presidente Diogo José Duarte; a atividade também contou com a participação do vice-presidente da Câmara de Vereadores frederiquense, Lídio Pedro Signori; e de organizadores da Expofred 2014.

A reunião da Acvermau será realizada no dia 3 de maio, em um sábado, a partir das 9 horas, na Ecco Eventos. Na ocasião, também haverá uma palestra com o coordenador regional do Tribunal de Contas do Estado (TCE/RS) de Frederico Westphalen, Gerson Luis Batistella.

Catiana de Medeiros

Um dia antes da morte Kimberly é filmada discutindo com homem mais velho

Publicado | 12:35:00
A Polícia Civil de Palmeira das Missões, no Norte do RS, está investigando a morte de Kimberly Ruckrt, 22 anos, que foi carbonizada na madrugada de sábado (12).
Imagens da câmera de segurança de um posto de combustíveis reforçam a hipótese de crime passional. As imagens capturadas na quinta feira (10) mostram Kimberly e um homem aparentemente mais velho discutindo nas dependências do estabelecimento.
Depoimentos já foram colhidos, mas segundo a polícia civil a busca por mais imagens é muito importante para a sequência das investigações.
NorteRS

Após temporal, Tapejara estima prejuízo de R$ 10 milhões

Publicado quarta-feira, 16 de abril de 2014 | 21:15:00
A Prefeitura de Tapejara, no Rio Grande do Sul, divulgou, nesta segunda-feira (16), uma estimativa de prejuízos causados pelo temporal que atingiu a região no último final de semana. Os dados apontam mais de R$ 10 milhões. Uma equipe multidisciplinar avaliou os estragos e constatou que 150 casas foram totalmente destruídas e 616 propriedades particulares foram danificadas parcialmente. Empresas, estabelecimentos comerciais e órgãos públicos localizados no bairro Treze de Maio foram os mais atingidos.
A Escola Municipal Catarina Debastiani foi destruída parcialmente, e o Ginásio de Esportes sofreu perda total. Além disso, também foram prejudicadas as estruturas da Unidade Básica de Saúde do Bairro São Paulo. Os 117 estudantes da escola atingida mantêm suas atividades normais em outra instituição do município, enquanto a reforma é realizada.
Segundo a prefeitura, a principal preocupação é na mobilização para reconstrução do que foi destruído. Atualmente os sistemas de água do municipio enfretam problemas, que devem ser resolvidos pela concessionária da região até o final do dia.
Cidade pede doações e voluntários para reconstruções
A Prefeitura de Tapejara criou no domingo (13) um comitê formado por entidades do município para trabalhar na reconstrução dos locais destruídos. Os membros do grupo pedem com urgência que eletricistas e encanadores voluntários auxiliem na reestruturação. A cidade também solicita caminhonetes de qualquer porte para realizar o transporte de doações. Para mais informações, é necessário entrar em contato diretamente com os membros do comitê através dos telefones  (54) 9603-6254, (54) 9434-8750, (54) 8144-9330 e (54) 8133-0455.

Doações em dinheiro podem ser feitas através de uma conta administrada pela Arquidiocese dePasso Fundo e pelo Comitê Pró-Reconstrução. Os interessados em ajudar podem entrar em contato pelo telefone (54) 3344-4700.
Do G1 RS

Pílulas dopantes foram misturadas em suco dado a Bernardo, na casa da assistente social, em FW

Publicado | 21:08:00
Foto: Daiane Binello
Nesta quarta-feira, 16, informações sobre como Bernardo Boldrini, 11 anos foi morto, começaram a ser divulgadas, mesmo sem a confirmação oficial da Polícia Civil. De acordo com a assistente social Edelvânia Wirganovicz, amiga de Graciele Ugolini – madrasta do menino –, ele foi dopado antes de receber a injeção letal.
De acordo com a cúmplice, as pílulas dopantes foram misturadas a um suco que Bernardo bebeu, na casa dela, em Frederico Westphalen. Somente depois ele teria recebido a injeção letal aplicada pela madrasta, que é enfermeira. Parece que a viagem entre Três Passos e FW, realizada na tarde do dia 4, data do crime, com a desculpa de comprar a televisão em promoção foi realizada pelas duas acusadas, além do menino e a irmã de um ano e três meses.
Até então, o que havia sido revelado é que a cúmplice teria sido encontrada pela madrasta e por Bernardo em FW. O cirurgião Leandro Boldrini, pai de Bernardo, está sendo acusado de ocultar pistas que comprometiam a mulher. Os três estão presos temporariamente, pelo prazo de 30 dias.
Advogado
Nesta quarta-feira, 16, o advogado da parte materna da família, Marlon Adriano Taborda, afirmou que o atestado de óbito aponta morte violenta, e que o corpo estava em avançado estado de putefração quando foi encontrado, confirmando a data da morte no dia 4, antes do registro de ocorrência pelo pai do garoto, no dia 6.
Márcia Ferreira/AU

Pá, cavadeira e amostra de terra da cova de Bernardo passarão por perícia

Publicado | 20:57:00
(Foto: Caetanno Freitas/G1
Uma amostra de terra pode ajudar a Polícia Civil de Três Passos, no noroeste do Rio Grande do Sul, a esclarecer quem enterrou o menino Bernardo Uglione Boldrini, 11 anos, em um matagal em Frederico Westphalen, cidade a 80 km de distância, no norte do estado.
O corpo do menino de 11 anos foi encontrado no local na segunda-feira (14). Ele estava desaparecido desde o dia 4 de abril. O médico Leandro Boldrini, pai do garoto, a madrasta, Graciele Ugolini Boldrini, e a amiga do casal Edelvania Wirganovicz são suspeitos do crime e estão presos temporariamente.
De acordo com a delegada Caroline Virginia Bamberg, responsável pela investigação, a Polícia Civil vai solicitar ao Instituto-Geral de Perícias (IGP) que a amostra de terra retirada do local onde o garoto foi enterrado seja comparada com os resíduos de terra encontrados no carro da madrasta. O veículo da enfermeira foi apreendido pela polícia.
Nesta quarta-feira-feira (16), Caroline afirmou que vai pedir ao IGP que dê prioridade aos laudos sobre o caso. A intenção dela é concluir o inquérito em 30 dias, mas não descarta um pedido de prorrogação. “Quanto mais rápido for, melhor para nós”, afirmou a delegada.
A polícia também recolheu remédios na casa onde Bernardo morava com o pai, a madrasta e uma criança de um ano, filha do casal. A polícia acredita que o menino tenha sido morto com uma injeção letal, o que ainda precisa ser confirmado pela perícia. Também é investigada a possibilidade de o menino ter sido dopado com medicamentos. “Quero ter a conclusão do que causou a morte do menino e qual substância foi usada em 20 dias”, acrescentou a delegada.
Na terça-feira (15), a polícia também fez buscas na casa onde mora a assistente social Edelvania Wirganovicz, em Frederico Westphalen. No local, foram apreendidas uma pá e uma cavadeira manual, que podem ter sido utilizadas para escavar a cova onde o menino foi enterrado. Foi a amiga do casal quem revelou a localização do corpo, diz a polícia. As ferramentas também passarão por perícia.
Velório e sepultamento
O corpo de Bernardo foi sepultado na manhã desta quarta-feira, por volta das 10h30, no Cemitério Municipal de Santa Maria, na região central do estado. No mesmo jazigo está sepultada a mãe dele, Odilaine, que morreu em fevereiro de 2010 aos 30 anos. Segundo a polícia, a mulher cometeu suicídio com um tiro na cabeça no consultório onde o ex-marido trabalhava à época.

Na terça-feira (15), o corpo de Bernardo foi velado em Três Passos, no ginásio do Colégio Ipiranga, onde ele estudava. Moradores, professores e colegas de escola foram se despedir do garoto. A notícia da morte dele, após 10 dias desaparecido, chocou e causou indignação em Três Passos.
Remédios caso Bernardo menino RS (Foto: Caetanno Freitas/G1)
Remédios foram recolhidos na casa do casal
(Foto: Caetanno Freitas/G1)
Caso corre em segredo de Justiça
A investigação corre em segredo de Justiça e poucos detalhes são fornecidos à imprensa. Mas, de acordo com a delegada Caroline, a Polícia Civil diz ter certeza do envolvimento do pai, da madrasta e da amiga da mulher no sumiço do menino. "Precisamos identificar o que cada um fez para a condenação", afirmou.

De acordo com a família, Bernardo havia sido visto pela última vez às 18h do dia 4 de abril, quando ia dormir na casa de um amigo, que ficava a duas quadras de distância da residência da família. No domingo (6), o pai do menino disse que foi até a casa do amigo, mas foi comunicado que o filho não estava lá e nem havia chegado nos dias anteriores.
No início da tarde do dia 4 de abril, a madrasta foi multada por excesso de velocidade. A infração foi registrada na ERS-472, em um trecho entre os municípios de Tenente Portela e Palmitinho. A mulher trafegava a 117 km/h e seguia em direção a Frederico Westphalen. O Comando Rodoviário da Brigada Militar (CRBM) disse que a mulher estava acompanhada do menino. 
“O menino estava no banco de trás do carro e não parecia ameaçado ou assustado. Já a mulher estava calma, muito calma, mesmo depois de ser multada”, relatou o sargento Carlos Vanderlei da Veiga, do CRBM. A madrasta informou que ia a Frederico Westphalen comprar um televisor.
Caetanno FreitasDo G1 RS, em Três Passos

Veja o que já se sabe e o que é dúvida no caso do menino Bernardo

Publicado | 20:53:00
O corpo de Bernardo Uglione Boldrini, de 11 anos, foi encontrado enterrado em um matagal na noite de segunda-feira (14), em Frederico Westphalen, no Norte do Rio Grande do Sul. Ele estava desaparecido desde 4 de abril. O menino vivia em Três Passos, no Noroeste, com o pai, Leandro, e a madrasta, Graciele. O casal e uma amiga estão presos por suspeita do crime.


Veja abaixo o que já se sabe e o que é dúvida no caso da morte de Bernardo. O caso corre em segredo de Justiça.
Quando Bernardo foi visto pela última vez?
Bernardo foi visto vivo pela última vez no dia 4 de abril por um policial rodoviário. No início da tarde, a madrasta foi multada por excesso de velocidade. A infração foi registrada na ERS-472, em um trecho entre os municípios de Tenente Portela e Palmitinho. A mulher trafegava a 117 km/h e seguia em direção a Frederico Westphalen. "O menino estava no banco de trás do carro e não parecia ameaçado ou assustado. Já a mulher estava calma, muito calma, mesmo depois de ser multada", relatou o sargento Carlos Vanderlei da Veiga, da PRF. A madrasta informou que ia a Frederico Westphalen comprar um televisor.

Qual é a versão do pai e da madrasta?
O pai de Bernardo, Leandro Boldrini, e a madastra, Graciele, dizem que o menino saiu de casa por volta das 18h do dia 4 de abril para dormir na casa de um colega, a duas quadras de distância da residência dos Boldrini, em Três Passos. No domingo (6), o pai do menino disse que foi até a casa do amigo e lá, foi comunicado da ausência do filho e registrou boletim de ocorrência na Polícia Civil, relatando o sumiço. O médico chegou a ligar para uma emissora de rádio de Porto Alegre para comunicar o desaparecimento da criança e pedir ajuda.

Com quem Bernardo morava?
Ele vivia com o pai e a madrasta em uma casa em Três Passos. A mãe de Bernardo, Odilaine, morreu em fevereiro de 2010. Segundo a polícia, a mulher cometeu suicídio com um tiro na cabeça no consultório médico do ex-marido, pai do garoto. A avó materna e a madrinha da criança moram em Santa Maria.

Quem está preso?
Leandro Boldrini, pai do garoto, Graciele Ugolini Boldrini, a madrasta, e Edelvania Wirganovicz, amiga do casal, são considerados pela polícia os principais suspeitos do crime. Eles foram presos na noite de segunda-feira (14), depois que o corpo da criança foi encontrado, e estão em local não revelado por medida de segurança. A delegada que investiga o caso, Caroline Virginia Bamberg, diz ter certeza da participação do trio na morte, só restando averiguar o papel de cada um.

Como Bernardo morreu?
A amiga da madrasta disse à polícia que o menino foi morto com uma injeção letal. Entretanto, apenas o resultado da perícia poderá indicar se ele foi morto com alguma substância aplicada na veia. Segundo o atestado de óbito, a morte ocorreu no dia 4 de abril de “forma violenta”. Nesta quarta-feira (16), a delegada afirmou que há possibilidade de o menino ter sido dopado com medicamentos misturados a um suco antes de ser assasssinado.

Como o corpo foi encontrado?
Na noite do dia 14 de abril, o corpo do menino foi encontrado enterrado em uma cova em um matagal na cidade de Frederico Westphalen, no Norte do estado, a 80 km de onde o menino morava. Após a descoberta do cadáver, o pai, a madrasta e uma amiga do casal Edelvania Wirganovicz, foram detidos por suspeita de participação no crime. A amiga mostrou aos policiais onde o corpo da criança estava enterrado.

Como era a relação de Bernardo com o pai?
Relatos de vizinhos e amigos dão conta que o menino se dizia carente de atenção. Ele chegou a procurar a Justiça para relatar o caso. No início do ano, o juiz Fernando Vieira dos Santos, 34 anos, da Vara da Infância e Juventude de Três Passos, autorizou que o garoto continuasse morando com o pai, após o Ministério Público (MP) instaurar uma investigação contra o homem por negligência afetiva e abandono familiar.

De acordo com o MP, desde novembro do ano passado, o pai de Bernardo era investigado. Entretanto, jamais houve indícios de agressões físicas. Em janeiro, o garoto foi ouvido pelo órgão e chegou a pedir para morar com outra família.
No início do ano, o médico pediu uma segunda chance. Com a promessa de que buscaria reatar os laços familiares com o filho, ele convenceu a Justiça a autorizar uma nova experiência. Na época, a avó materna, que mora em Santa Maria, na Região Central do estado, chegou a se disponibilizar para assumir a guarda. Porém, conforme o MP, Bernardo também concordou em continuar na casa do pai e da madrasta.
Do G1 RS

Conhecidos estão chocados com envolvimento de Edelvania

Publicado | 20:42:00
O envolvimento da assistente social Edelvania Wirganovicz, de Frederico Westphalen, na morte do menino Bernardo Boldrini, 11 anos, chocou não só a comunidade, como também familiares e amigos. Na edição impressa do AU deste sábado, 19, depoimentos de pessoas que conviviam com Edelvania e de um familiar revelam um pouco do perfil da acusada.

Márcia Ferreira

União vence o Avenida de virada

Publicado | 20:33:00
Foto: Fábio Pelinson/AU
O técnico Rodrigo Bandeira já havia sinalizado que os próximos dois jogos em casa, contra Avenida e Panambi, seriam questão de vida ou morte para o time. Com esse espírito, o União Frederiquense entrou em campo para enfrentar o time de Santa Cruz do Sul nesta quarta-feira, 16, em Frederico Westphalen. Apesar da necessidade de vitória, a equipe começou mal a partida. Viu o Avenida tomar conta do jogo e abrir o placar aos 14 minutos com Alexandre, que de fora da área chutou rasteiro e superou o goleiro Lucio. O gol fez o União acordar. A saída do volante Marcelo Guerreiro, lesionado, para o ingresso do atacante Maranhão mudou a história do jogo. O Leão da Colina começou a dominar as ações e buscar o gol de empate.
E o primeiro tento do União veio aos 26 minutos. Após jogada de Matheus Ribeiro, o lateral foi derrubado na área, e o árbitro marcou. Paulinho Macaíba bateu o pênalti e abriu o placar. O tricolor frederiquense continuou melhor no jogo. O mesmo Paulinho Macaíba de cabeça, aos 35 minutos, virou o jogo para o União com um golaço, após cruzamento de Ronaldinho Gramadense. A vitória levada ao intervalo deu tranquilidade ao União. Mas no início da segunda etapa, quem voltou melhor foi o time visitante. Altair, de cabeça, da risca da pequena área, obrigou Lucio a fazer um milagre logo nos primeiros minutos. Depois disso, o União segurou bem o jogo, mantendo o placar apertado e perigoso. Porém, em um contra-ataque, Rogério, que havia entrado no lugar de Leandro Rodrigues, passou para Diego Miranda, que com extrema qualidade driblou duas vezes o marcador, bateu da entrada da área e fez um golaço.
O 3 a 1 no placar, que dava tranquilidade também para os pouco mais de 500 torcedores que estiveram no Vermelhão da Colina, durou apenas quatro minutos. Isso porque o árbitro Nicolas das Almas marcou pênalti do zagueiro Ilson em Clodoaldo, aos 38 minutos. Alexandre bateu no centro do gol e fez seu segundo gol no jogo. Apesar da pressão do Avenida pelo empate, quem chegou com mais perigo no final da partida foi o União. Porém, o placar não foi alterado. Com a vitória o União conquistou seus três primeiros pontos no segundo turno. No domingo, 20, o time volta a campo contra o Panambi, novamente no Vermelhão da Colina, às 15h30min. 

Fábio Pelinson/AU

Pai da madrasta do menino Bernardo confia na inocência da filha

Publicado | 18:38:00

No Twitter, pai também procurava o filho

Publicado | 16:51:00
Descoberto por internauta leitora, a página no Twitter do cirurgião Leandro Boldrini mostra que o pai de Bernardo Boldrini, acusado de envolvimento na morte do menino, também fazia uma campanha na rede social para localizá-lo.

A última postagem foi realizada na segunda-feira, 14, data em que o corpo foi encontrado em Frederico Westphalen, e que ele, a mulher e uma amiga da família foram presos acusados de envolvimento na morte de Bernardo. Segundo as investigaçõs policiais, é possível que Leandro tenha auxiliado na ocultação da vítima.

Márcia Ferreira/AU

Sedativo usado na clínica do pai é achado em corpo de menino

Publicado | 11:54:00
ames apontam que foi identificado no corpo de Bernardo Uglione Boldrini, 11 anos, um anestésico usado na clínica do pai, o médico Leandro Boldrini. A informação reforça a tese da Polícia Civil que o cirurgião sabia do crime. O garoto teria sido assassinado com uma injeção letal depois de ser dopado. As informações são da Rádio Gaúcha.

A equipe da investigação do caso está reunida na Delegacia Regional de Três Passos, no noroeste do Estado, na manhã desta quarta-feira. O corpo do garoto foi encontrado 10 dias depois do desaparecimento, em Frederico Westphalen, a cerca de 80 quilômetros de Três Passos, cidade onde vivia com o pai e a madrasta, presos por suspeita de envolvimento no assassinato da criança. Além dos dois, uma amiga da madrasta também foi detida. 

Pai teria ajudado na ocultação de cadáver, diz delegado Mário Wagner

Publicado | 11:43:00
Após a morte do menino Bernardo Uglione Boldrini em Frederico Westphalen, a Polícia Civil, aos poucos, revela partes de um crime que chocou o Rio Grande do Sul. O diretor do Departamento de Polícia do Interior, delegado Mário Wagner, afirmou nesta quarta-feira que o pai teria ajudado na ocultação do cadáver da criança. "O que nós descobrimos através dos primeiros depoimentos é de que ele (pai) soube da morte do filho e ajudou a esconder o corpo. Isso está comprovado", disse em entrevista à Rádio Guaíba.
Ainda que o resultado da necropsia não tenha sido divulgado, o delegado Mário Wagner explicou que a madrasta de Bernardo teria praticado o crime com o auxílio da amiga. Ele ainda confirmou o uso de barbitúricos, uma espécie de sedativo, e uma injeção letal, com uma substância ainda desconhecida da polícia. "A certeza que nós temos é que foi um crime doloso cometido pela atual companheira do pai e com a ajuda da amiga dela", afirmou. 
Ao comentar os dias que antecederam a descoberta do corpo de Bernardo, localizado em um matagal de Frederico Westphalen, Wagner lembrou da gravação em que o pai relata a um radialista que está à procura de Bernardo, até então dado como desaparecido. "Ele nunca se referiu ao Bernardo como filho. Somente quando o repórter perguntou a relação é que ele esclareceu o parentesco. Depois, descobrimos que o pai tentou desviar a investigação com a hipótese de desaparecimento, tudo para proteger a companheira", observou.


Rádio Guaíba e Correio do Povo

Aprovada lei de Beto que prevê cadeia para quem provocar mortes no trânsito

Publicado | 10:28:00
O Plenário da Câmara aprovou, nesta terça-feira (15), o Projeto de Lei (PL) 2.592/07 do líder do PSB na Câmara, deputado federal Beto Albuquerque (RS), que prevê cadeia para quem provocar mortes ou lesões graves no trânsito decorrentes do uso de álcool e da prática de racha. Os parlamentares analisaram a proposta com as mudanças feitas pelo Senado. O substitutivo retirou do texto o principal ponto, que introduz pena de reclusão nos casos já citados. Os senadores também retiraram da matéria a previsão de exames toxicológicos para detectar o motorista embriagado ou que tenha feito uso de outras drogas. No entanto, prevaleceu o texto da Câmara, aprovado na Casa em abril do ano passado. O parecer da relatora, deputada Sandra Rosado (PSB-RN), foi pela rejeição das alterações feitas pelos senadores. O texto segue agora para sanção presidencial.

O PL de Beto faz importante alteração no Código de Trânsito Brasileiro (CTB). Essas são as primeiras penas de reclusão prevista no CTB. Até então, as penalidades mais duras são apenas de detenção, em regime aberto ou semiaberto. A matéria também prevê aumento da pena máxima dos dois anos de detenção atuais para três anos. Se o crime resultar em morte, a pena máxima chega a dez anos. Segundo o líder socialista, é notório que ainda hoje o CTB dispensa aos maus motoristas as punições necessárias. "Esses atos têm causado justificável inconformismo e revolta da população", disse.

O parlamentar lembra que, no Brasil, cerca de 40 mil pessoas morrem anualmente em decorrência de acidentes nas rodovias e perímetros urbanos. O líder socialista é enfático ao falar da necessidade de mudar o entendimento de que tudo no trânsito é culpa e não dolo, especialmente quando a maioria dos acidentes com vítimas tem o álcool ou a velocidade excessiva como fator determinante. "Precisamos enfrentar e vencer a impunidade. Não é possível que alguém que mate nessas circunstâncias tenha direito à fiança", criticou. O líder do PSB agradeceu aos demais parlamentares pela aprovação do Projeto. "A casa tá de parabéns por produzir uma lei mais eficaz contra a impunidade dos homicídios de trânsito." 

O Nacional

'Me senti enganado', diz juiz que manteve menino com o pai

Publicado | 01:21:00
A prisão do médico cirurgião Leandro Boldrini sob suspeita de participar da morte do filho Bernardo Uglione Boldrini abalou o juiz Fernando Vieira dos Santos, 34 anos, da Vara da Infância e Juventude de Três Passos, no Noroeste do Rio Grande do Sul. Foi o magistrado quem autorizou no inicío deste ano que o garoto continuasse morando com o pai, após o Ministério Público (MP) instaurar uma investigação contra o homem por negligência afetiva e abandono familiar.
Comovido com o caso, o juiz ressaltou ter tomado a providência padrão ao priorizar a reinserção dos vínculos familiares, como prevê o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA). Mas reconheceu: jamais imaginou o desfecho trágico. “O Bernardo foi enganado. E eu me senti enganado. Assim como ele eu não sabia que ele estava sendo levado para Frederico Westphalen”, disse o magistrado ao G1.
O menino de 11 anos estava desaparecido desde o dia 4 de abril. O corpo dele foi encontrado enterrado em um matagal na noite de segunda-feira (14) no interior de Frederico Westphalen, a cerca de 80 quilômetros de Três Passos.
Estêvão PiresDo G1 RS

Fotos

Comida e Receitas

Curiosidades

 
Copyright © 2012-2014 Portal - In Foco RS
Ametista do Sul-RS - (55) 3752-1096 - (55) 8142-4875